Domingo.

Ficar triste pra quê? Eu tenho Guaraná Antarctica na geladeira, mashmalows na mão, muitos assuntos para pensar, bastante coisa para fazer e uma vida inteira pela frente. 

Anúncios

A reflexão dos hospitais.

Toda vez que eu vou em hospital, entro com uma mente e saio com outra. É incrível ver como o ser humano é nada. Em um mundo extremamente egoísta e “camadista”, o hospital é o único lugar em que todos estão no mesmo patamar. Todos vulneráveis, fragilizados. De repente, um está pedindo a ajuda do outro. Essa é a parte boa: pessoas que ajudam, que estão dispostas a doar-se porque esse é o trabalho delas ou algo que escolheram para viver. Difícil é ver alguém que não precise da ajuda do outro. Hospital é lugar de dizer coisas otimistas, acreditar que irá ficar bem. O mundo precisa da reflexão dos hospitais.

Fases e épocas.

Talvez seja assim mesmo. A vida é cheia de épocas, não de fases. Fase parece que passa pra nunca mais ser lembrada ou vivida, é e depois nunca será. Época já soa diferente para mim. Época é e depois continua nos nossos pensamentos, naquele cantinho do cérebro que guarda melhor. Eu tive várias épocas, não me arrependo de nenhuma. Algumas épocas se foram, mas, diferente de fases, elas continuam aqui comigo e eu agarro toda oportunidade que tenho para recordá-las.

Esse texto é aleatório. Porém, veio na minha cabeça assim que eu li no meu fotolog uma mensagem da Gleid: “Barbara, vai ter encontro na pedra da cebola domingo que vem às 14hrs…”. Quando li, tempos antigos voltaram ao meu ser.

E aí, eu pensei nisso tudo. Pensei também que a vida é como um terminal. Há constantemente pessoas entrando e saindo. Tem algumas que possuem a hora certa, outras têm pressa para subir no primeiro ônibus que passa para ir bem longe.

Hoje, são outras coisas que me distraem, eu tenho outros vícios, novas rotinas, interesses diferentes. Também existem outras pessoas aqui, ainda que não sejam meus amigos.

Agora, me veio na cabeça que só tive essa reflexão pois li as palavras da Gleid logo após chegar do parque.

Estranho se dá conta que você já foi tanta coisa.

Várias épocas estiveram aqui. Cada uma teve seu motivo. As pessoas mudam.

(Em 10/01/12)