Tabacaria.

30-12-10 011

“Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é
(E se soubessem quem é, o que saberiam?),
Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
Para uma rua inacessível a todos os pensamentos” (Tabacaria – Álvaro de Campos).

__________________________________________________________

Álvaro de Campos é o personagem (se assim me permitem dizer) que mais gosto em Fernando Pessoa. Todas essas reflexões sobre a existência me fazem delirar e viajar. Sempre encontro algo parecido comigo. Tentando entender o tempo todo.

Biscoito da sorte de hoje.

1

“Lembre-se de tudo, de todo insulto, de toda lágrima. Tatue no interior de sua mente. Na vida, é essencial o conhecimento dos venenos… Eu fui tatuada, uma galeria de arte ambulante. Erga-me contra a luz e leia minhas cicatrizes brilhantes…” (Flores Brancas de Oleandro)